A mulher pode sofrer alterações em sua sexualidade desde a gestação devido as alterações hormonais, físicas, emocionais e culturais, com possíveis consequências negativas na vida íntima do casal durante a gestação, puerpério e se prolongar por anos após o nascimento do filho.

A gestação é um dos períodos marcantes na vida da mulher, sendo assim há necessidade de conhecimento e atitudes que beneficiam esta fase na vida sexual da mulher.

 

Após o nascimento do filho o processo de amamentação pode alterar o desejo sexual devido as alterações hormonais que ocorrem no corpo e para a produção do leite materno, juntamente com a mudança física, cansaço, mudança na vida familiar e pessoal. São tantas as mudanças que é muito comum ela não pensar em sexo durante o período de quarentena. São 40 dias pós-parto que a mulher deve esperar para retornar a vida sexual, indicado pelos médicos ginecologistas para aguardar o retorno fisiológico e a recuperação da região uterina e músculos do assoalho pélvico (região do períneo).

 

Para o retorno à vida sexual após o nascimento do filho a mulher precisa estar bem emocionalmente e fisicamente, assim sentirá prazer e satisfação com desejo sexual normalizado e os benefícios do sexo saudável e feliz.

 

 

Atitudes para o retorno à vida sexual após o nascimento do filho

 

A mulher deve preparar-se emocionalmente e fisicamente para o retorno à vida sexual, e isto requer diálogo e participação do parceiro (a).

O ideal é que ela utilize o Massageador Terapêutico Peridell, inicialmente com uso externo na vulva e após  com o uso internamente no canal vaginal, assim que o médico permitir e com indicação do Fisioterapeuta. Deste modo estará preparando a musculatura e tecidos locais para a penetração, com melhora no relaxamento local, circulação e inervação, melhora da força e sensibilidade local, com analgesia e recuperação da cicatriz da episiotomia e possíveis lesões locais decorrentes do parto vaginal. Caso tenha ocorrido o parto cesárea também é indicado seu uso, afinal houve por meses sobrecarga e alterações corporais que podem comprometer os músculos íntimos.

No momento da intimidade o casal deve realizar preliminares com muitos estímulos prazerosos para proporcionar excitação e lubrificação vaginal, assim irá relaxar os músculos vaginais e facilitar as fricções locais e o prazer. Se precisar a mulher deve usar um lubrificante íntimo específico para a vagina para facilitar a penetração e evitar desconforto do retorno à vida sexual após o nascimento do filho, como o Intense Loob da Hotflowers.

Na vida sexual do casal é necessário o equilíbrio entre a vontade e a frequência desejada para ambas as partes, sem comprometimento da sexualidade de um para agradar o outro. Fazer sexo sem vontade para agradar o outro com frequência pode fazer mal à saúde levando ao desenvolvimento de doenças psicossomáticas como estresse, depressão, síndrome do pânico e outras.

A mulher deve cuidar da sua saúde sexual respeitando seu corpo e sua vontade, evitar fazer sexo com desconforto ou dor, preocupada com os filhos, cansada e com sono.

O principal hábito que o casal pratica e que melhora muito a saúde sexual e prazer da mulher é fazer sexo com calma, com muitos estímulos prazerosos, descansados e relaxados para ter adequado envolvimento físico e emocional de ambos.


Após o nascimento de um filho o casal pode precisar mudar os hábitos sexuais e os estímulos para proporcionar melhora na participação e prazer da mulher.

Fonte: Hottflowers