Muitas mulheres desejam ter seus músculos íntimos fortes para deixar qualquer parceria enlouquecida, querendo sempre mais... e mais. Agora elas podem fortalecer de um modo simples e com tratamento eficiente, pois a HotFlowers lançou cones inéditos no mundo devido ao aumento da espessura e dos pesos. Estes foram desenvolvidos pela Fisioterapeuta Pélvica e Sexóloga Fabiane Dell` Antônio

Os Cones vaginais DELL são cápsulas de formato anatômico e pesados que ao serem inseridos no canal vaginal proporcionam o estímulo necessário para que a mulher contraia a musculatura do assoalho pélvico (músculos vaginais) para fortalecer as estruturas locais e mudar a vida sexual delas e do casal.

Os cones Dell são inéditos no Brasil e no mundo por serem mais grossos e pesados, são em número de cinco e vendidos separadamente com os seguintes pesos: 40 gramas – 60 gramas – 80 gramas – 100 gramas – 120 gramas. 

Seu uso permite um treinamento com aumento de carga progressiva, exatamente como acontece na musculação de academia com pesos para o restante do corpo. 

 

Indicações de uso dos cones vaginais



Os cones contribuem para o fortalecimento dos músculos íntimos (Músculos do Assoalho Pélvico), melhoram a sensibilidade vaginal e facilitam a percepção da contração e relaxamento vaginal. Além disso melhoram a força muscular e autoconhecimento, favorecem a saúde e prazer sexual.

Quando os músculos íntimos estão fortes haverá saúde local, com adequada sustentação dos órgãos pélvicos, continência urinária e fecal e melhora em todos os aspectos na vida sexual, como o desejo, lubrificação e orgasmo.

Por serem mais grossos os Cones Dell permanecem no canal vaginal de modo mais eficaz ao tratamento e com menores chances de deslocamento ou quedas, principalmente em vaginas que apresentam acentuada flacidez. 

Outro diferencial dos cones Dell são os pesos, já que no mercado brasileiro não há cones com peso superior a 80g. Os cones Dell possuem pesos até 120g que proporcionam aumento da resistência muscular local.

Os cones Dell são mais eficazes do que os demais no mercado, evitam quedas e são mais pesados.

 

Como usar os cones na vagina 

 

Primeiro é importante determinar a carga adequada para cada mulher de acordo com o estado muscular dela. Isso porque se for muito leve não irá fortalecer, e se for muito pesado irá lesionar os músculos. O teste deve iniciar com o mais leve e progredir com o subsequente no peso.

O cone ideal é aquele que permanece na vagina enquanto a mulher contrai os músculos íntimos, e neste momento pode ser segurado por 3 a 10 segundos sem deslocamento ou queda.

 

O cone está muito leve se a mulher, ao ficar em pé, não sentir peso nenhum, ou então se o cone ficar parado na vagina mesmo que ela não esteja contraindo-a, apertando-a.

Assim como se ela consegue segurar o cone contraindo a vagina sem cair por mais de 10 segundos ele deve ser trocado pelo próximo, mais pesado. 

Para saber se o cone está muito pesado é quando a mulher não consegue segurá-lo na vagina por mais de 3 segundos, assim deve ser substituído pelo anterior que é mais leve. Lembrando, o teste é realizado em pé.

O cone deve ser utilizado com um preservativo não lubrificado (comprado em qualquer farmácia). O uso de lubrificantes no cone aumenta o grau de dificuldade do treino porque facilita o seu deslizamento. 

 

Posição para sua colocação:

Para a inserção do cone a mulher pode estar deitada com as pernas afastadas, ou em pé com um dos pés apoiados sobre uma cadeira. O cone deve ser inserido com a parte mais larga para cima (em direção ao colo uterino) e o cordão para baixo e fora do canal vaginal. O dedo médio pode servir de guia empurrando-o para cima.

O cone deve ser posicionado profundamente até a metade da vagina, uns quatro dedos de profundidade. Se ele não estiver suficientemente fundo os músculos íntimos o empurrarão para baixo ao invés de para cima, tornando o exercício ineficaz.

Após a inserção deve-se usar preferencialmente uma calcinha para evitar de o cone acidentalmente cair no chão. A partir de então deve ser realizada as séries de exercícios citados abaixo.

 

Exercícios

 

Estes devem iniciar na posição deitada e após dominar o exercício sem o deslocamento do cone mudar para a posição em pé. Assim que dominar o exercício em pé, sem o deslocamento do cone, substitua-o por outro mais pesado.

 

1 - Após escolher o cone certo e inseri-lo corretamente no canal vaginal a mulher deve posicionar-se deitada com joelhos flexionados (inicialmente) e contrair a vagina com toda a força para reter o cone durante 3 segundos (reposicionando-o se ele cair) e então relaxar. Descansar por 3 segundos e contrair novamente por mais 3 segundos, assim sucessivamente até completar 10 vezes. Descanse 1 minuto e repita outra série com 10 contrações mantendo até 3 segundos. Total = 2 séries de 10 repetições = 20 vezes no dia. 

 

2 - O segundo exercício (deve ser realizado em seguida após o nº1, mas com um tempo de intervalo entre eles de 2 minutos) são as contrações e relaxamento sem segurar muito tempo, ou seja, contrai e relaxa devagar até 10 vezes. Descansar 2 minutos e repetir nova série de 10 repetições, totalizando 2 séries de 10 = 20 vezes no dia.

 

Importante: procure um profissional Fisioterapeuta Pélvico ou profissional capacitado que atua com o Pompoarismo para ter maior eficiência no tratamento.

 

 

Orientações gerais:

1 - Usar camisinha sem lubrificação;

2 - Usar em dias alternados, até 3 vezes na semana;

3 - Tempo de uso inicialmente em 5 minutos, progredir até 30 minutos, inclui caminhadas, permanecer sentada o em pé, e a realização dos exercícios;

4 - Não tranque a respiração enquanto usa os cones e faz as contrações;

5 - A duração do treinamento pode durar até 3 meses, se realizado com assiduidade.

6 - Após atingir o tempo máximo com o cone de 120g passe a frequência do uso de 1 vez na semana para manter os músculos fortalecidos.

 

Alguns casos que são contraindicados o uso de cones:

1 - Gestantes;

2 - Mulheres que sentem dor na relação sexual;

3 - Prolapsos genitais (ex. bexiga caída);

4 - Período menstrual;

5 - Mulheres com dificuldade em contrair os músculos íntimos;

6 - Uso de diafragmas, pessários e tampões, outras.

 

Os músculos levam algum tempo para sua recuperação, por isso não devem ser realizados estes exercícios com exageros, mas com respeito ao tempo de trabalho e repouso.

Caso há necessidade de evolução após estes treinos com todos os pesos, ou houver dúvidas quanto as práticas, procure um fisioterapeuta especializado na área Pélvica, na saúde da Mulher.

 

Fabiane Dell` Antônio

Fisioterapeuta, Palestrante e Consultora