A Química do Beijo.

Todo mundo sabe que beija é muito bom, não é mesmo? Já não é novidade, mas o que provavelmente você não deve saber é o que está por trás do ato de beijar. Portanto, vem com a gente que vamos te explicar o que ocorre quando beijamos.

Pode-se dizer que o beijo ativa os nossos sentidos como paladar, olfato e tato. Beijar ajuda nosso corpo e cérebro a fornecerem pistas para saber se o seu parceiro(a) é compatível ou não com você. Assim podemos concluir se vale a pena relacionar-se. Um fato histórico mostra que os primeiros registros dos seres humanos se beijando, é de 3.500 anos atrás, na Índia, embora animais primatas possam ter tido comportamento similar ao longo dos tempos.

A boca é uma região bem servida de terminações nervosas. “Tem o mesmo número encontrado na região genital”. Por conta das terminações nervosas, beijar é algo delicioso para as pessoas. Vale ressaltar que o ser humano desenvolveu o ato de beijar, como algo instintivo, entretanto, como já foi destacado, é também algo antigo, cultural. Quando beijamos é liberada a ocitocina, hormônio que estimula o amor entre os seres humanos. Além disso, nosso cérebro aumenta o nível de dopamina, neurotransmissor que estimula o desejo pela sua cara metade. Por último temos a serotonina, hormônio responsável pelas sensações de humor e de prazer. Sabe aqueles pensamentos obsessivos com relação ao parceiro (a), que muitas vezes vem à mente? Se existe um responsável por esta obsessão, ele se chama serotonina.



Revela-se uma forma de sobrevivência em meio à crise.

Portanto você pode perceber que o ato de beijar não é um simples acaso, o beijo é químico e está conectado a várias reações do cérebro. E por falar em química, o ato de beijar envolve uma enorme troca de bactérias corporais, isso é seguro? Sim! Por incrível que pareça, o ato de dar as mãos transmite um número muito maior de germes; além do mais, a saliva tem alguns componentes que podem proteger contra algumas bactérias ruins, enquanto as mãos são desprovidas deste artifício.

Beijar é bom, prazeroso e ainda provoca estímulos cerebrais para a produção de dopamina e serotonina, não é incrível? Beijo não tem contraindicações! Beije bastante, além dos benefícios químicos que o beijo traz, ele pode ajudar o seu relacionamento durar mais e ter mais qualidade. Tudo por conta dos fenômenos hormonais, culturais e porque não dizer psicológicos que fazem parte da química do Beijo.

Então conte para nós, você beija muito, gosta dessa ideia? Pode nos dizer? Agora que você já sabe tudo sobre a química do beijo, curta e compartilhe com a gente as suas experiências.

Gostou das dicas que preparamos para você? Assine nossas Newsletter para receber novidades quentíssimas!


Produtos Relacionados: